domingo, 8 de julho de 2012

...a tomada de Pomares, no séc.XXI...

A tática estava tomada.
O romano Fidalgo tinha lançado todos os pormenores para esta invasão dias antes.
O resto da armada, 13 no total responderam. Sim Mestre.
A armada presente para a tomada:
Quelhas, Cabaço, Lourenço, Marcelo, Salavessa, Maia, Fidalgo,Salgueiro, Álvaro, Salvado, Silvério, Eusébio e Infante.

A cartilha, descoberta na aldeia de Pomares, uma pequena terra para os lados da cidade da Guarda pelo Fidalgo, sua terra Natal seria o palco para a grande batalha, que tinha como objetivo visitar o local onde por amores se encontravam secretamente Inês de Castro, e Dom Pedro na vila de Jarmelo.
Assim, e cada um com missões bem definidas, ao nascer da manhã apanhou-me na aldeia da Lardosa, o Cabaço e Eusébio(a quem agradeço a montada), para irmos até a esta aldeia de Pomares, onde já nos aguardavam mais alguns romanos,  e um banquete preparado na taberna do Mestre gladiador Fidalgo(este o dos bastidores, o Pai do romano), e assim fizemo-nos à invasão pela aldeia de Penhaforte.
De trilhos muito bonitos e refrescantes, circulamos cuidadosamente. Diga-se  que de principio ao fim, não me lembro de ter circulado num estradão. Singles, bredas, quelhas e caminhos, muitos caminhos que caraterizam esta zona da Guarda. Adorei o percurso.
Em tempos já tinha reparado ser uma zona forte no aspeto histórico e com uma riqueza cultural e patrimonial invejável. Cruzeiros, capelas e igrejas são alguns dos pontos marcantes desta zona.
Quanto a mim, o que mais me despertou a curiosidade, foi o facto de existirem muitos cemitérios espalhados um pouco por toda esta zona. Ao aproximarmo-nos da aldeia do Salgueiral, até me pareceu existir um cemitério num quintal duma casa particular!!!
No entanto, achei uma zona cada vez mais a pagar os custos da bitola da sociedade. Desertificada, e triste. Aldeias e vilas habitadas por pouca gente.
Quanto a nós, a alegria era uma constante entre a malta. O número tanbém condizia. Se o 13 é "azar" para nós tornou-se sorte e boa disposição, pois o número era o 13, mas de facto eramos 12+UMA=13
Doze homens e uma mulher.
O romano anfitrião deste dia profundo conhecedor desta zona, convidou uns amigos da terra para fazer de reforço....e que reforços!!! Umas MINES fresquissímas para saciar a sede do pelotão.
Gagos, uma prova por mais que evidente desta minha prosa. Um deserto de casas, fazem o caracteristico nome desta aldeia, com vestigios de quermesse, sinais de festas e romarias de outros tempos.
Aproximavamo-nos da vila de Jarmelo, situada bem no alto dum monte. Aqui, local bem marcado pela história amorosa de D.Pedro e Inês de Castro. O Staff do romano sempre ao melhor nível, esperavam-nos para "comêrmos e boermos" como deve de ser.
Um templo de história, que aconselho um saltinho de fim de semana.
Aldeias como Ima, Valdeiras, Montes, Argomil foram terras de passagem.
A história do dia passou-se a seguir a Argomil, pois o romano, primórdio dos tempos de pedrada e cacetada, deixou toda a armada à "nhenhas". Aquilo é que foi engraçado ver a malta como se tratasse duma batida aos javalis!!!
O raio do caminho nunca mais aparecia...
..."solta o javali", ainda se entoou...eh eh

Aldeia de Guilhafonso, detentora do mais potente e soberbo castanheiro que já vi. Uma árvore enorme dentro duma tapada, alvo de algumas fotos.
Nesta aldeia, a armada reuniu, decidiu e com algumas alterações de percurso, direcionámos as montadas aos Pomares, visto a hora começar a ficar tardia, e a grelhada mista regadinha com tinto fabuloso, sem antes saborearmos uma Mine bem fresquinha oferecida pelo romano.Os agradecimentos especiais vão para o romano Fidalgo por motivos óbvios, mas também endereço aqui agradecimentos a estes onze companheiros e companheira por abraçarem o convite do romano e desfrutarmos dum dia destes. A todos eles o meu bem haja, pois a alegria de toda a malta foi geral. Quanto a mim um só senão;
"Agente" Silvério, aprende a jogar à sueca....
Bem haja a todos por comigo participarem em mais um dia em que a carolice e amizade demostra que é possivel fazer coisas muito engraçadas, e conquistar zonas da Beira com uma catrafada de malta que gosta destas andanças.
Fidalgo, obrigado por me colocares na lista de convidados.
Bem haja
Aquele de sempre...
Pinto Infante

2 comentários:

Silverio Correia disse...

Começo por agradecer e dar os parabéns aos “repórteres” por “imortalizarem” este magnifico evento, através das imagens e das descrições.
Para mim, este foi sem duvida um passeio 4P’s+A’s que nunca sairá do meu baú de recordações.
Este foi um daqueles passeios de BTT em que se desfrutou cada unidade elementar de tempo, desde o principio, muito antes das pedaladas começarem, até ao fim!
Mas estas coisas não são obra do acaso, e neste caso, conhecemos bem os “CULPADOS” – Abilio Fidalgo coadjuvado, e muito bem, pelos seus pais e alguns dos seus amigos de Pomares! Um GRANDE OBRIGADO e MUITOS PARABÉNS para TODOS. Claro que os participantes também tiveram a sua parte de “culpa” para tal SUCESSO! Parabéns também para eles, eu incluído!
Só me resta dizer, ATÉ À PRÓXIMA!
Um ABRAÇO
Silvério

Fidalgo disse...

Agradeço a presença de todos e as palavras do Pinto e do Silvério. Não posso esqueçer a ajuda dos meus pais em primeiro lugar e dos meus amigos Vitor, Fernando, Paixão, Carlos e Francisco. Este passeio só foi possivel graças a Todos Nós.