domingo, 26 de dezembro de 2010

Do baú, saiu o último de 2010

Tira as mãos do travão.

A ideia já vem de há 4 anos. Decorria o ano de 2007.
Na companhia de Alentejanos e Beirões , tive a ideia de dar a conhecer, num olhar mais profundo, a albufeira de Santa Águeda(Marateca).
Juntamente com colegas de profissão de Portalegre, com alguns amigos da Beira, dava então início a esta volta que daí para cá a tenho intitulado como sendo o último Domingo de cada ano em BTT.
Quem aceitou o convite até hoje, e quis fazer parte deste grupo, tenho a ideia que não dá por tempo mal perdido este último. Confraternizar com aquilo que gostamos de fazer. Andar de bike.
Este ano, o São Pedro, mais uma vez colaborou neste magnífico último do ano, e com "as voltas do Pinto Infante"; Deitou-se nas brasas de Deus menino, chuva nem vê-la, brindou-nos com um dia repleto de sol QB para esta altura do ano, mas de manhã as temperaturas estavam bem baixinhas, onde neste dia 26 de Dezembro 41 amigalhaços aceitaram este meu convite, e comigo partilharam  alguns trilhos do baú, outros não.
Já tinha saudades do cheiro a organizações de BTT. À hora marcada, a rapaziada ia aparecendo, tirar a bike do carro/carrinha e um pouco encolhidos lá se preparavam para a volta proposta.
Depois de conferir a relação, fiz alguns alertas da praxe, pois iriamos passar em singles e trilhos de certa forma escorregadios e com "regueiras" um pouco fundas, motivadas pelas fortes chuvadas dos útimos tempos.

O grupo era bom, excelente acrescento. Alguns na sua maioria são juntamente comigo pioneiros e fundadores da coisa.
Desta vez, para este último, fui ao baú virado para São Miguel de Acha para fujir um pouco ao frio da Gardunha, o que de certa forma deu os seus frutos porque até às  Zebras a coisa estava bera, mas a partir daqui a coisa começou a acalmar, em virtude de circularmos por zonas encobertas pela vegetação.
Vale da Torre/Zebras/parte de baixo da Orca em direcção à ponte do Taveiró/saímos da estrada e aqui, confesso qure percorremos o que para mim é e foi sem dúvida o melhor single que percorri até hoje. Brutal classificou-o o João Valente. Sem dúvida. Na serra da Gardunha conheço e tenho no baú alguns do género, mas como este...até me apaguei quando circulei por lá a 1ª vez...
São Miguel de Acha vinha a seguir sem que antes brindasse a rapaziada com a surpresa de todos os anos(esta diferente porque o dedo da Junta estava lá), de todos os anos não. Este ano desafiei a Junta de Freguesia da Lardosa a colaborar com umas chouriças/morcelas na brasa, regadas com um tintinho para aquecer a tripa.
Imaginem a reacção da Junta?!
Aceitou.
Palavras?!
Bem haja Junta de Freguesia da Lardosa, pelo incansável apoio em prol das voltas do Pinto Infante.
Com a ajuda destes amigalhaços, foi de gosto realizar esta aventura.
Quim Tó, o melhor voluntário de sempre.
Abastecimento,gentilmente oferecido por esta Junta;
-Chouriça assada;
-Morcela assada;
-Vinho tinto-Tapadas de Franco;
-Pão caseiro dos Escalos de Cima;
Vocês são GRANDES;
Sobremesa:
Caganitas de ovelha, gentilmente oferecidas pelo meu amigo Fidalgo:
Doces:
Bolo Rei, oferecido pelo meu amigo João Barata:
Não custa nada, quando se tem amigos assim.
A todos eles, o meu bem haja.
Que bem que tudo isto soube...
O meu amigo Joaquim Cabarrão sugeriu, e a malta aceitou tomar mais um cafézinho, desta vez em São Miguel de Acha, onde o João Barata mais uma vez suportou os cafés. João quanto a mim, registei.

Fotos gentilmente cedidas pelo meu amigo Simões.

19.... e qualquer coisa, e agora em 2010, no último, de seu nome Joaquim Cabarrão, ao som da RR. Só faltava mesmo a Olga Cardoso e o António Sala a dizer:
-"Uau"...
Bem,  conseguiu espalhar perfume daquela altura com a "sua" telefonia entre serras, montes trilhos e singles. Soberbo....



Com a devida autorização, invadimos os campos do Sr.º Manuel Vaz Preto. Algo que, do baú só Vos pude oferecer metade, porque como lancei o mote no almoço, lá para o tempo da "ROTA DOS LAGARTOS", lá iremos se tudo correr bem, pois é um assunto de há muito pensado por mim. Vamos com calma e agarrem-se bem.(pensem nisso).

Soberba descida para a quinta da Várzea. Moita espero que estejas melhor, pois sem ver a queda,parece que foi dura!!!As melhoras.
Se a descida foi soberba,o que dizer da subida via várzea?! Cavalos, vacas e uma catrafada de amigos meus a subir esta bela quinta que só acaba na Nacional que liga Lousa à Lardosa?!
Trunfos na manga ainda para brindar os resistentes até à Lardosa. O último single entre pinheiros, laranjeiras e mimosas, bem perto da Lardosa, para mim é espantoso. Lindo.
A Lardosa aproximava-se.
Desta vez a água não faltou na Lardosa.
Banho, e almocito.
A malta confraternizou, lavámos roupa suja/lavada, e foi aqui que lancei o tal mote:
Abril/Maio, Rota dos Lagartos em GPS. Que Tal?!70/80Kms em orientação?!
Vou tentar reunir mais uma vez o apoio da Junta de Freguesia da lardosa, pois quem me conhecesse sabe que só com qualidade e satisfação de quem me/nos visita, organizo eventos em prol da amizade/confraternização.
O Victor do restaurante, mais uma vez caprichou, com aquela sopa dos pobres!!!
Sabe sempre tão bem.
Meus amigos, estas palavras são para VOCÊS, pois tenho todo o prazer em Vos receber todos os anos para este evento, onde nada, mas nada para mim interessa sem ser a amizade que tenho por quem quer aceitar este meu convite.
Sózinho, sózinho não....
Então e as cancelas quem as fechava???!!
Entre-ajuda fenómenal que tive destes amigos, porque sem vocês mais demorava e não conseguiamos concluir este último...
Original,gosto em partilhar os trilhos do meu baú, com todo o prazer...
18 de Dezembro de 2011, marquem na agenda. Será que conto com os mesmos???!!!
Como alguém tem que trabalhar no último dia  do ano, e 24 horas , deixo aqui um apêlo a todos, mesmo todos que lerem este meu cantinho e não só.
Conduzam com precaução sff,  pois para o ano quero-vos cá ver,para novas aventuras destas,
 e de outras...
Como dia  1 de Janeiro de 2011, pelas 09H30 estou de saída do serviço, , alguém alinha????
Bom ano 2011, divirtam-se com moderação, sem travões....
Agradecia que dessem a vossa bicada no novo visual do blog, pois até perfazer os 3 anos tem que estar impecável.
Finalmente consegui elaborar e colocar fotos do tamanho que gosto.
Sem travões, com a VOSSA consideração e amizade.
O mesmo de sempre:
Pinto, o Infante
Bom ano novo

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

...Feliz Natal...

Votos sinceros de um Santo e Feliz Natal com Saúde.
Pinto, Infante

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

...as voltas do Pinto Infante...

Todos os anos chegamos a esta altura e enchemos as nossas mentes e tempos livres com prendas para aqui, prendas para acolá e por vezes esquecemos mesmo a verdadeira razão do Natal. Não é que vá aqui relembrar a história, mas deviamos lembrar mais vezes estes pouquinhos que quiçá juntariam mais as pessoas, mais ainda agora que é crise para aqui, não compres isso, paga aquilo...irra!!!
Bem, mas tanta conversa para quê?! Nem eu sei...
Sei sim Senhor. Todos os anos no último Domingo de cada ano, elaboro por aí umas voltas/trilhos, junto alguns companheiros de luta(porque a capacidade do restaurante assim manda, pena tenho não os poder trazer todos), arranjo os banhos(quentes de preferência), trata-se do comer e mais algumas coisas e na companhia desta malta vamos andar/confraternizar, e porque não dar a conhecer alguma coisa aqui pelo baú?!
Este ano, em virtude das chuvadas tem-me sido dificil solucionar o trilho, porque nos trilhos onde a paisagem é soberba, está-se a tornar complicado transpor ribeiras, barrocas ou mesmo charcos...
Nesta 2ª feira 20, fui percorrer todo o trilho, e reconheço que tenho que introduzir algumas alterações por alfalto, caso contrário temos que levar barbatanas e botija de oxigénio, e o objectivo desta volta não é própriamente andar rápido, meta, tempo ou outra coisa qualquer. É só mesmo a confraternização. Um por todos e todos por um.
Algumas das fotos que iremos observar este ano 2010.
Ora se no ano passado se bem se lembram, a raposa andava por lá, este ano deparei-me com isto.
O que será?! Vamos invadir campos do "Cinhozinho Malta"?! espaço Siox?! Algures por aí...
De acordo com as previsões metereológicas(até agora)o São Pedro até está a ser meu amigo, mas é sempre uma inconstante. Oxalá nos ajude para darmos uma voltinha por aí, com algumas surpresas pelo meio e a culminar com isto um almocito como que a rematar um ano que para mim em termos de participações Bttistas não foi grande coisa.
Partilho com os leitores do meu cantinho algumas fotos das passagens em bredas/singles/terras onde iremos passar.
Reitero votos sinceros de:
 Feliz Natal, cheio de Saúde a todos.
Pinto Infante

domingo, 19 de dezembro de 2010

...26 de Dezembro de 2010...

Boas a todos.
Antes de mais quero endereçar aqui a todos votos sinceros de boas festas com um Natal cheio de Saúde e felicidade junto dos entes queridos.
Depois, alertar os meus amigos, que a volta deste ano, a tradicional última do ano, vai ser dia 26 de Dezembro de 2010.
Titulos dos anos anteriores:
- A invasão dos Alentejanos;
- No explendor da Marateca;
- O último do ano;
Chamemos-lhe, no ano de 2010;
As voltas do Pinto Infante
Confirmado.
Aguarda noticias...
Pinto Infante

domingo, 12 de dezembro de 2010

...o preço dos buraquinhos...

A convite do meu amigo Zé Luís, comparsa da Lardosa,  participei num Domingo diferente com gentes e rapaziada bem conhecidas, excepção seja feita ao Martim, que dos lados da Amadora trouxe as suas montadas para a Beira por motivos profissionais e juntando-se à malta desfruta também ele amante desta modalidade,  bons momentos de fim de semana.
Então foi assim:
O Zé Luís tinha em mente juntar meia dúzia de amigos para efectuar a "volta da chouriça". Foi então que ao convidar-me lhe sugeri,  caso a malta aceitasse íamos ver uma ligação que me falta para o tradicional  último Domingo do ano. Assim foi...
Com concentração marcada para as 9 da manhã, e com um grupo "homogéneo", junto ao adro da igreja executámos a saída pelo lado Norte da Lardosa. Trilhos do baú para nos dirigirmos até ao Vale da Torre. Durante singles dava para perceber que nas partes mais baixas dos terrenos, iríamos ter alguns problemas de progressão, mas tudo bem até aqui.
A recordar, da esquerda para a direita:
Calhabaças ,Martim, Pinto Infante, Zé Luís, Badocha e Vasco.
Zebras, seria a próxima terra que nos via passar. Ao chegarmos ao açude daquela localidade, que para mim tem uma paisagem muito bonita, 1º problema do dia; em virtude das fortes e abundantes chuvas que têm caído, as pontes foram levadas pela corrente.
Voltamos para trás e com calma apanhámos o caminho que nos levou à ponte da entrada das Zebras fazendo assim a ligação ao poleirinho local. Com coordenadas orientadas para S. Miguel de Acha, foi ir de encontro à minha única dúvida do dia!!!


A passagem de madeira sobre a ribeira de Alpreade, perto da Fonte Santa, tinha algumas dúvidas se lá estaria mais uma vez por causa das chuvas. Ainda as esclareci com dois caçadores que se cruzaram connosco no caminho, e que confirmaram que a ponte estava lá. Contente fiquei porque o resto do trilho já o tinha feito há alguns anos atrás.
Circulando, e ao chegarmos a esta ribeira, foi desilusão total...Nem ponte, e a ribeira tinha uma levada de água que nem de batelão passávamos. O caminho a escassos metros do lado de lá....caramba...o Zé Luís ainda disse em tom de alegre:
- "Pinto, deixa lá isso, que hoje não viemos cá para andar de bicicleta"...
Depararmo-nos com isto e por causa das águas não conseguirmos prosseguir foi coisa que me deixou bem triste... 
Bem, para alegrar a malta, o Zé começa a tirar do saco a Chouriça da tal volta. Bem, chouriça não. O rapaz programou para hoje o seguinte buffet:
Ementa:
Painho de porco preto, chouriça para assar, azeitonas, morcela, pão(sugiro a visualização do 1º filme, pois o Vasco faz as honras da casa destas iguarias), tudo na mochila. Que bela surpresa..
O Martim levou o tinto, e eu para adoçar a boca à rapaziada levei o bolo Rei para sobremesa, ficando a fogueira a cargo do Badocha e do Calhabaças.
Um verdadeiro pitéu no meio do mato...
Bem aconchegados, seguimos com volta atrás, encurtando caminho por umas fitas penduradas nas árvores. Outro erro. Com ela às costas chegando mesmo a ser desagradável confesso, demos com um trilho que já nos trouxe ao longo de Alpreade, mas sempre encurralados quer por esta ribeira, quer pela ribeira do Taveiró. Fonte Santa, sempre a tentar ligação à Lardosa
sem molhar o pé...muito complicado.Há 7 anos que ando nestas andanças e nunca como hoje!!!

Andar sempre a tentar avistar uma passagem para a outra margem...
Acreditem, que desde a Lardosa, não conseguimos avistar uma passagem melhor do que na quinta da Várzea, bem perto da ponte de S.Gens. Mesmo assim, a água foi pela cintura. Aqui, tínhamos mesmo que atravessar, pois não havia alternativa. Irra...
A nossa preocupação era agora mesmo o Zé Luís, pois nadar não é nada com ele...a corrente essa era muito forte, mas numa largura menos complicada lá conseguimos fazer a travessia para a quinta da Várzea, com água até aos "tutelos".

Depois, foi tempo de nos fazermos à estrada, e por este caminho regressarmos à Lardosa, algo desmotivados, mas ao mesmo tempo contentes, pois o grupo encarou esta procura de buraquinho como uma volta diferente e com alegria.  
Visto a 2ª parte do abastecimento ainda se encontrar nas mochilas, o Zé sugeriu à lareira de sua casa acabarmos o pitéu, desta vez em sítio mais aconchegado.
Assim fizemos, na companhia que arrancámos, e mais uma, o sempre saboroso lume, acabámos a volta da chouriça.
Nesta volta deste Domingo 12 de Dezembro, agradeço o convite do Zé Luis que a troco de amizade juntou meia dúzia de amigos para uma manhã algo diferente. Agradeço ainda ao resto da rapaziada a companhia que me fizeram, pois foi para mim uma volta com prazer desfrutar estes trilhos na vossa companhia.
Não sei porquê, mas até as fotos de hoje ficaram algo esquisitas.
Quanto à não concretização do trilho proposto, peço desculpa mas estas surpresas por vezes acontecem a quem tenta desfrutar ao máximo de trilhos/bredas/singles/caminhos sempre novos e que com prazer os partilha. 
Para quando a próxima Zé???!!!
Lardosa, 12 de Dezembro de 2010
Já agora, parabéns à armada da Beira por mais um feito-Tróia/Sagres.
Pinto, o Infante

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

...dois em um, juntando neve com 26...


Numa semana consegui juntar um pouco do que gosto aleado à minha bike. Com prazer aproveitei para numa primeira etapa fazer uma incursão a Alcongosta, e fotografar toda aquela paisagem maravilhosa que esta estação do ano tem. 
Com os feriados Nacionais a chegar e passar como o vento, queimei os últimos cartuchos de férias, desfrutando desta maneira dia 2 de Dezembro para mais uma etapa das minhas, para ir ver da tal voltinha habitual para a rapaziada amiga,  no último Domingo do ano dia 26 de Dezembro.
Agarrei, abri o baú, juntei-lhe alguns da "Rota dos Lagartos", outros da "Rota do Feijão"com muitos novos, e que para mim nunca por ali tinha circulado, nem imaginava ser possível, e elaborei um passeio a rondar os 70kms. 
A saída, essa, foi pelas 9H45 devido ao frio, e feita pelo lado Norte da Lardosa em direcção ao Vale da Torre. Alguns singles novos, a intenção e objectivos seria ligar Zebras/Orca/Martianas e S. Miguel-de-Acha.
Depressa cheguei à conclusão que para dia 26 de Dezembro daria uma quilometragem acima do pretendido, mas que para este dia seria o ideal.
Para evitar esta ponte, percorri todos os buraquinhos possíveis, e não consegui encontrar nenhum sem que passasse em cima dela percorrendo 1km em alcatrão. Valeu a pena em virtude das paisagens serem muito bonitas...
S.Miguel-de-Acha era ali ao fundo. Aqui, e no mesmo café onde se costuma fazer o abastecimento do raid dos meus amigos Filipe/Sales para as Aranhas, aproveitei também para comer a sandocha que levava de casa com chouricinho caseiro para retemperar forças, e tamanho XXL...
Ao despedir-me desta terra, vislumbro o maciço central com o seu chapéu branco,  que nos oferece uma foto sempre de encher o olho...
Trilhos que no raid das Aranhas são feitos a subir, e sem mãos no travão, era desta vez, dia de jogar em casa. Vivam as descidas...Foi num instante enquanto cheguei à ponte de S.Gens. Novamente hora de beber qualquer coisa, aproveitando o facto de passar perto das bombas da gasolina onde bebi um sumo de laranja muito saboroso.
 Dali para a frente nem me lembro de algum dia lá ter circulado, como também vi uma grande quantidade de caça, ou não estivesse eu nas bandas do Srº Vaz Preto...Soberbo trilho havia de descobrir por ali. Sem abrir uma única cancela, esbarrei em trilhos, singles e bredas, que para ser sincero cheguei a pensar ter que voltar para trás... 
Ao alcançar Santa Bárbara, o vento, esse começa a incomodar, fazendo-me mesmo vestir o kispo. Lousa, e ao dirigir-me para os Escalos de Cima vai daí e cai-me uma bolota no capacete; lembrei-me então desta filosofia de vida:
-o mundo está mal concebido, diz um companheiro para o outro;
-olhe que não, responde em conversa o compadre dele;
-como é possível uma árvore tão grande dar um fruto tão pequeno...
-se da árvore que deu esse  fruto caíssem melancias, veja lá se o mundo estaria ou não mal concebido...
Sorte a minha em o mundo estar bem ou mal feito... 

Posto isto, e feito esparvoado por lá a rir-me por dentro sozinho, os Escalos de Cima eram logo a seguir, e por esta aldeia se preparava o evento do fim de semana que aí se aproxima, com a Feira anual das sopas.
Lardosa, 15H30´, excelente hora para a banhoca, arrumar a bike com 66kms muito bons, onde no dia de hoje descobri trilhos deveras lindos para a prática deste desporto na companhia da Natureza.



Esta foi uma semana como disse recheada de aventuras, e que com esta elaborei já algum trabalho de casa, para o passeio de 26 de Dezembro de 2010, miticamente conhecido com o último do ano.
6ª feira era hora do regresso... 
Fim da 1ª parte...________________________________
_____________________________________________
2ªparte:
Esta foi provavelmente a subida mais rápida que fiz ao da Gardunha. Logo pela manhã(6ª Feira), havia compromissos familiares aos quais não podia faltar, mas ficou desde logo marcado para de tarde fazer uma incursão neste monte. 
É que logo de manhã, ao dar uma espreitadela da minha varanda avistava a Soalheira repleta de neve. Soberba vista tinha a serra. Tinha que lá ir.
Se o A.Quelhas no cantinho dele escreveu..."que já lá vão 12 anos da neve na Gardunha, num passeio de BTT "...faço minhas as palavras dele porque também estive nesse passeio e hoje foi como que um reviver desse dia. Maravilhoso, acreditem...
Deu quase para chegar lá em cima, ou quase porque a progressão tornou-se perigosa, ao ponto de mandar mesmo uma cambalhota, e com receio voltei para trás.
Objectivo conseguido e com prazer, ver e desfrutar desta serra com neve, é um prazer enorme; Ao rubro.

Partilho agora em baixo os filmes e fotos que consegui com a minha digital.
Carrega em cima da foto:
Capitulo I

Capitulo II

Capitulo III

Capitulo IV

Desta vez, com muitos travões...
Pinto Infante

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

...uma volta bem à minha maneira...

Todos anos, nesta altura em especial gosto muito de desfrutar duma volta nas calmas e bem à minha maneira para os lados da serra da Gardunha com vistas para o maciço central; A serra da Estrela. A volta já estava delineada na memória e GPS há algum tempo.
Levava na ideia subir a Castelo Novo tentando descobrir novos trilhos e caminhos que me levassem a passar a Sintra da Beira, Alpedrinha avistando-a de cima sem cruzar o caminho que já conheço do ano passado entre outros.
A saída foi pelo canal ribeirinha e 4 caminhos, com passagem pelo campo de futebol da Lardosa. 
Desta vez, sem que abortasse a missão, o São Pedro e Deus do frio, permitiu que partilhasse esta minha aventura com as companhias do costume; Eu, a minha bike e o meu GPS.
Início das subidas, já com a Lardosa nos calcanhares, a temperatura subia ao aproximar-me da Gardunha. Por trilhos novos Alpedrinha ficava debaixo do meu olhar através dum buraquinho onde nunca tinha passado. Aos poucos o Outono invadia o meu olhar já no sopé desta serra. O sol e nuvens ajudavam a pintar o azulejo que avistava.
Bem ao meu ritmo atingia o topo da subida, onde o vento e frio se faziam sentir. Até à casa do guarda de Alcongosta foi um saltinho.
Neste espaço vislumbra-se a serra da Estrela ainda sem neve, mas com umas paisagens dignas de serem apreciadas ao pormenor. A caneta,  essa, não queria parar de escrever. que belas vistas se observam por ali... 
Alcongosta era o destino inicial traçado para este dia. De carro já lá fui algumas vezes, mas desfrutar dum dia como o de 2ª feira, em pleno contacto com a Natureza e aproveitando para fazer uma das coisas que mais gosto, através da bicicleta, foi algo que me deu muito prazer. Ao descer da casa do guarda era tempo de vestir o kispo, pois o frio sentia-se e bem. Brutal a calçada Romana que desagua até ao asfalto de Alcongosta.
Tira as mãos do travão...
Dúvidas, muitas dúvidas tive eu ao chegar ao cimo do monte, e só passado um bocado me apercebi que estava a ver bem!!!
Uma jovem com uns bons Outonos em cima passeava a seu belo prazer nestas subidas que até a mim me custam a fazer, quanto mais a esta jovem. Repentinamente ainda me veio à memória se seria daquelas pessoas que desaparecem e que os meus colegas por vezes procuram, então assim, não resisti e meti conversa com ela:
-Então a menina o que anda aqui a fazer?! Sózinha por aqui?!
-Então vocemessê não anda sózinho também!!!???
-Confesso. Fiquei um pouco preocupado com esta jovem, mas com o desenrolar da conversa me disse:
-Eu moro já aqui na 1ª casa de Alcongosta, e ando aos miscaros, mas agora está a ficar muito vento e vou pra minha casinha.
Mais descansado.(deixo o apêlo a quem se cruzar com pessoas jovens destas, conversem um pouco com elas e vejam a capacidade de diálogo e a lucidez com que o fazem. É que desaparecem algumas por causa de Alzaimer e é um problema).Felizmente não foi o caso desta jovem,  e alegremente seguiu ela e eu, cada um o seu destino.
Por falar em jovens. Esta foto é de Cabo de Esquadra.
Comentários???!!!
Entre folhas, carvalhos e castanheiros, o meu dia ia passando a meu prazer. Lindas vistas; rolar entre folhagens que esta época do ano acarreta. Em tons acastanhados, e em direcção a Vale de Prazeres, com trilhos agora mais rolantes aproveitei para comer e beber pela 2ª vez, porque a barriga já pedia qualquer coisa, pois desde a casa do guarda que não ingeria coisa nenhuma.
Quase 2 horas da tarde, e bem tratado foi dar força aos pedais, e por trilhos já conhecidos direccionei a minha companheira com coordenadas à Lardosa. 


Termas da Touca, Atalaia, Póvoa, Repasto da Maria, mas sem antes ir visitar o magnífico verde que sempre se pode ver ali num buraquinho do baú e que é sempre agradável lá passar.
Lardosa, a terra que me acolhe dia a dia, e que para breve vai estar em mais uma destas. Aconselho uma visita por estas bandas, se quiserem e puderem, nesta encosta voltada a Norte e desfrutem das magníficas paisagens, em  que o actor do principal papel se chama:
Outono.
Pinto, o Infante

domingo, 21 de novembro de 2010

...finalmente, honra lhe seja feita...

Ora muito bem meus amigos e leitores do meu cantinho, finalmente um post dedicado à companheira com motor auxiliar.
Já tinha alterado o cabeçalho do meu cantinho em virtude de há uns tempos atráz ter arranjado uma montada do meu ano. As características dela até me são algo familiar visto ter sido o meu Pai que a vendeu em 68 cá para a Lardosa.( motivo fortíssimo para me interessar por esta motorizada).
Não dá coices(se o dono tiver juizo);
Éguas faz, mas por distracção(bike também);
Anda pouco, a subir(na bike também o dono);
Nas rectas só anda aquilo que o dono quer(na bike é preciso ter pernas para andar);
Bem,  mas vamos lá então contar um pouquinho do que foi este dia de estreia para mim. 
Assim, dia 17 de Setembro de 2010, fiz então a minha estreia com a  Casal de 4 EFS.
A Associação "Turbolentos" dos Escalos de Cima, organizou o seu passeio anual, com uma vista guiada através das estradas da Beira interior.
A saída foi nesta Aldeia, com passagem por Alcains, Lardosa, Soalheira, Alpedrinha, Valprazeres onde efectúámos a 1ª paragem do dia para o pequeno almoço. Cada um com a sua maluqueira; Uns nas bicicletas, outros caça, outros pesca e claro outros nas motorizadas. Haja saúde...
De seguida, e com tudo préviamente acertado entre os "Turbolentos" e Ricardo Megre, filho do Mestre pioneiro dos "Bajas" em Portugal, deslocámo-nos à quinta onde decorria a feira anual de todo o património conseguido por ele em vida e  riquíssimo em carros, motas, motorizadas, as belas pasteleiras, tratores, que este pioneiras dos "Bajas" em Portugalenfim um rol de antiguidades onde a organização das motorizadas fez questão de de lhes fazermos companhia. Muito bem introduzido...

Foi nesta quinta que almoçámos,  e ao agrado de cada visitamos  a feira. No meu caso, aproveitei também para rever alguns amigalhaços.
Uma feira de antiguidades/colecionismo que apreciei, ou não fosse eu amante das coisas"velhas".
Regresso aos Escalos, Aldeia que abraçou este excelente evento, passando por São Miguel de Acha para regalo dos olhares desta gentes simpáticas e que tanto gostaram de ver estas beldades passarem.
Digno de repetir para o ano com a minha princesinha de 68.
Enfim um post merecido para a minha motorizada, mas desengane-se quem pensa que vou trocar com certeza a paixão e prazer de andar a levar com vento e frio pela cara das minhas bikes pela paixão das motorizadas.
Exemplo disso, vai ser esta 2ª feira 22 e se tempo ajudar visitar os castanheiros com as cores lindas do Outuno que caracterizam esta altura do ano.
Alcongosta via Sintra da Beira.
Penso que é um post à honra da minha motorizada, com algum atraso,  mas finalmente nerecida.
Pinto, o Infante, de motorizada, bike ou a pé...
Mas esta com travões....
Pinto Infante

domingo, 14 de novembro de 2010

...do Juncal, a amizade que vem de longe...

Juncal, 14 de Novembro de 2010.
É com pequenos gestos que a amizade entre as pessoas vai ficando, durando e sem mais nem menos, há sempre um certo dia em que nos lembramos deste ou daquele. Pelo menos comigo, a coisa funciona assim. Ah e tal hoje lembrei-me deste; amanhã lembrei-me do outro; e aos poucos nos apercebemos que há sempre um lugar por que nos considera. O Carlos e o Rogério, ambos do Juncal, fazem parte desta minha pequena e curta introdução do post de hoje. Amigos com quem falo pouco durante o ano, mas nas alturas de confraternizar lá estamos nós. Então como é?! Que tal dia X irmos dar uma voltinha...e o casqueiro!? e o último?! Bem, espero que durante muitos anos perdure esta nossa amizade.
Desde há 15 dias o meu amigo Carlos me incluiu então neste número 13, para que dia 14 de Novembro fôssemos em busca de mais um Domingo Bttista, e na companhia de mais uns quantos convivas desta modalidade, e para os lados do Juncal, terra Natal desta rapaziada invadirmos a tal Natureza.
..."já minganarim, pensei eu no fim"...vamos por partes.
Então vamos lá:
A aventura, seria darmos uma volta incluindo uma almoçarada, por ali. A noite de véspera foi agreste e violenta quanto a chuva e vento, mas ninguém adivinharia a soberba manhã/tarde de BTT que nos esperava. A saída essa teve que ser retardada, mas às 9 da manhã tudo a postos para darmos início à coisa. Juncal, no campo de futebol foi a concentração. 13, rico número. 13 amantes arrancaram em direcção ao Barbaído para apanharmos mais 3. Barbaido com 16, e com terreno a chorar a chuva que caira de noite, aos poucos nos dirigiamos a Martim Branco com passagem ao lado de Chã da Vã.
-Atã, diria eu?!
-Mas para onde levas a malta, Carlos?!
-Pinto, a seguir  a Almaceda estás a ver aquelas coisas lá em cima?! Isso mesmo. As antenas eólicas da Serra do Açor.
Eu que um dia, do alto da Gardunha as avistava,  com inveja pensava um dia;
Hei-de lá ir um dia....
Pois é meus amigos....
Depois de bebermos uma jeropiga que a carrinha de apoio trazia, e na galhofa interrogar um transeunte de Almaceda "há quanto tempo não havia porrada por ali", foi subir, subir e subir 10 Kms até uma terra que a avó finalmente falava. Ingarnal(eu chamava-lhe Infernal). Uma coisa louca. só me lembro de uma coisa assim a seguir ao túnel da serra da Estrela. Achei pior para ser sincero. Brutal, escomunal, soberbo... eu sei lá. Eu que detesto subir, achei aquilo gratificante. Vislumbrávamos ao perto Rochas de Cima, subir e bem lá no alto, ao virar da esquina o vento apoderou-se desta cordilheira. Soberbo! Navegar a belo prazer bem lá no altinho do monte....ui...surpresa...
O Carlos e o Rogério tinham preparado um abastecimento original e sem conhecimento da malta. Quando cheguei lá estavam os fortes do grupo já a ajudar a malta a assar chouriça, morcela e farinheira bem lá no alto do Açor. Brutal...
Da parte do Dário, saiu um dos melhores comentários que já ouvi na minha vida, no mundo das bikes:
-"Pinto, será que a corrente do assador é XTR?!"...
Bem, foi de gargalhada geral.
Depois da barriga bem aconchegada, era hora do regresso, mas ainda as subidas enganadoras bem lá no alto tinham que se fazer.
Tripeiro, Violeiro, Rochas de Baixo e demais freguesias isoladas pelos nenhures dum monte que jamais imaginaria circular por ali um destes dias...
No Barbaído a distância começava a fazer peso nas pernas, e foi aqui que o Pedro ficou junto dos seus já bem cansado também.
O Juncal, terra que nos abraçava, já se avistava. Aqui o Roberto satisfeito por estar a chegar ao fim, dava aso ao "Palvarinho" que há na juventude de cada um...Consegui passar dentro de todos os charcos, charquinhos e charcões de água que havia por ali. Viva a juventude que há em nós...
Juncal. 62 Kms percorridos num dia onde só as pessoas interessaram. O meu GPS assinalava 1680 metros de acumulado!!!
Missão cumprida.
Pelas 3H30´juntámo-nos no restaurante " a Nave" no Salgueiro de outro amigalhaço meu. O Tó Zé, que com simpatia e paciência nos aturou no culminar deste belo dia de Domingo.
O post desta aventura desta vez vai diferente, mas não posso deixar de realçar certas fotos dignas de registo e que ficam bem na minha «alimbradura».
Carlos e Rogério:
As palavras são sempre poucas para registar a amizade que nos tráz por cá.
Bem haja por me incluirem na vossa lista de convidados.
Pinto, o Infante

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

...5, 4, 3, 2, 1...aborta a missão...

Pois bem.
Estamos a entrar numa altura do ano que gosto particularmente de exagerar na escrita com a minha digital. Para mim, as fotos nesta altura do ano, com os tons acastanhados que a Natureza nos oferece são de uma beleza ímpar. Hoje, consegui fazer algumas das mais belas fotos desde que as partilho aqui neste meu cantinho"As voltas do Pinto Infante".
Com carga profissional QB, este Domingo, o que me impediu mais uma vez de participar no evento realizado por malta amiga/colega, naturalmente chegava a 2ª Feira. Folga, merecida. 
Há já há algum tempo ansiava fazer uma das minhas. Sair logo que possível de Castelo Branco, e iniciar o regresso orientado pelo meu GPS até à Lardosa, desbravando alguns trilhos para mim virgens. Assim tentei...
A saída pelas 9H30 de Castelo Branco foi via Barragem da Talagueira. Aqui já havia passado, fazendo a passagem por cima da A23 virado a Sul e seguindo em direcção à ribeira da Líria casando esta com o Ocreza. Por trilhos nunca dantes navegados(por mim) ia galgando cautolosamente km a Km. Ao deixar de ver a cidade Albicastrense, esbarrei na 1ª travessia do dia, with galochas, vai daí e toca a molhar o pézinho. Nada de preocupante.
Aproximava-se um dos grandes momentos do dia. Ao descer um magnífico pinhal, mais a minha companheira e hoje sob a batuta do meu GPS, um moinho antigo e já fora de prazo há alguns anos, dava beleza à dureza do corta fogo que se encontrava do outro lado da margem, e que sem dar conta disso, o meu orientador de seguida ordenava que o subisse. 
Deveras lindo.
Um velho moinho onde só animais como javalis, que tive o prazer de os ver, ao longe diga-se, mas só mesmo estes bichos se conseguem movimentar por estas bandas.
Foi com algum sacrificio que com ela à mão(50m), transpus a margem para o lado a 5 Kms do Palvarinho. Aqui, com este corta fogo é que a porca torceu o rabo. Para o subir, com uma inclinação em que não me engano muito se disser 30%, tive que a pé parar para aí 10 vezes. Uma coisa horrivel...
A capela de São Lourenço abençoava mais um pouco deste dia que, aos poucos a chuva ia ganhando a aposta a um sol envergonhado. Lagaretas. Esta bela passagem sempre admirada por nós BTTistas.
Eis que após o Palvarinho e circulando já pelas quelhas e bredas desta zona, dou de caras com esta bela imagem, digna de um talvez"...e esta hheeeinnn'''"
Ah, se fosse de tarde e em tempo de sol, de certeza que a bringela frita e o tinto não faltariam em cima da mesa. Acreditem ou não, ainda é possível ver algumas hortas tratadas por estas bandas. Até quando?!
Frente, e para tristeza minha a contagem decrescente tinha iniciado. "Porra"...5, 4,...pode ser que não...3...
Seria possível que com tudo isto preparado ao pormenor, ao aproximar-me do Freixial, o São Pedro, fazia a sua  aparição com uma chuva terrivelmente chata e que ia deixando aos poucos o Pi(to)nto todo encharcado!!!

Uma das minhas mais belas fotos que consegui registar. Debaixo de chuva, escuro e a magestosa Gardunha a sorrir-me...A realidade lá ao fundo, era outra...Diria mesmo duas realidades bem diferentes...
Inacreditávelmente, 2...1 e por muito que me custasse começava a ficar desagradável andar a fazer uma das coisas que mais gosto nas horas de laser. Tinalhas, Marateca e com vento frio e a soprar a grande velocidade, acabei por abortar a missão a que me tinha proposto para este meu dia de folga.
0 aborta a missão...
Aborrecido por não ter acabado os 75 Kms propostos inicialmente...
video
Mais folgas virão, e esta tenho que a acabar lá para os caminhos já conhecidos do Baú, onde a serra da Gardunha me há-de abraçar com os seus magníficos singles e bredas.
Lardosa, 8 de Novembro de 2010.
Pinto Infante