domingo, 21 de dezembro de 2014

...o caramelo do último, mantém-se...

Cheira a caramelo!!!
Cheira a caramelo, fim do ano, neve, frio e Natal...
A menino JESUS...
O caramelo foi nesta sexta feira a essência da palavra.
Como a profissão está em 1º lugar, nesta 5ª feira desportiva levei falta, que justifiquei com serviço.
Assim sendo, a 5ª feira passou para sexta de folga, permitindo efetuar uma voltinha sem andar a olhar para o relógio.
A noite, tinha notado ser fria, e muito com a companhia de geada, mas de manhã estava espalhado pela Beira todo o perfume da época do ano.
Que grande caramelo caiu por aqui!!!
Como o cheiro do último se aproxima, e com tudo confirmado, é tempo vasculhar o baú e começar a juntar alguns becos da zona para desfrutarmos de mais uma voltinha dominical.
Como era notório o caramelo em toda a nossa zona, saí da Lardosa um pouco mais tarde que o habitual.Eram quase 10 da manhã, passava no bairro do tanque, local de início e reparei que o caramelo nesta zona da Lardosa, se transformou em gelo.
Estava frio de inverno, sentia-o, mas aos poucos o sol  aparecia, permitindo desfrutar duma manhã de btt até às duas da tarde muito agradável.
A escolha do trilho para esta 6ªfeira, e da prateleira do baú para 2014 tem que ser cuidadosa, em virtude da surpresa de 2013 no início ser algo desagradável.
Objectivo, não molhar o pé.
Dois dias antes do último de 2013 tinha feito reconhecimento do terreno, naquele dia o que valeu foi a galhofa...
Posto isto, da prateleira de 2014, vai sair sem água, sem subidas, com muitos estradões e com algumas surpresas pelo caminho, assim espero...
O clima este ano por cá, tem permitido que os campos de cultivo sejam fartos de cores caracterizantes de todas as estações do ano.
Quanto aos estradões que os circulam, são também eles embelezados, pois é por aí que dia 28 iremos percorrer alguns kms, com início na Lardosa, e regresso à capital do feijão frade.
Pela manhã dentro o sol e temperatura agradável iam conquistando o frio que a noite trouxe, obrigando-me ainda assim, calçar dois pares de luvas, pois as pontas dos dedos são para mim sempre um tormento.
O terreno está seco, bonito para as canetas registarem aquilo que cada um lhe apetecer.
vamos percorrer quatro terras circundantes à capital do feijão, onde estou a ultimei nesta dia  alguns pormenores que me parecem evitáveis, sendo as subidas e trilhos com pouca água, pois vamos à semelhança dos 7 anos transactos fazer desta voltinha dominical, uma volta de confraternização, não se tratasse de uma volta guiada.
Está quase aí, mais um último, mais um Natal e a propósito de Natal.
...SEM QUALQUER TIPO DE TRAVÃO, DESTA VEZ NEM A SUBIR NEM A DESCER, DESEJO A TODOS/AS UM BOM E SANTO NATAL.
Aquele de sempre...
Pinto, o Infante

2 comentários:

Jorge Lagarto disse...

Com ou sem água... lá estaremos :)

Pinto Infante disse...

água entre outros Jorge.
se tudo correr como os Deuses estão a enviar, não iremos ter chuva, mas sim algum frio,,,,
até domingo
Pinto Infante