terça-feira, 10 de dezembro de 2013

...um desafio pessoal...

Não Sr.º!!!
Tens que ir prá tropa, pá!!!
Só os homens de barba rija vão à tropa pá...
..."ouvis-te ou não"!?...
Sim Sr.º, avô....
Nãã...
Nada disso...


Nem tropa, nem avô...
Este foi talvez o maior desafio lançado a mim próprio.
Os "bandidos" dos meus companheiros fizeram alterar este desafio por duas vezes.
O regresso às faias na serra da Estrela, tinha ficado prometido desde 2012. Um monumental engano da minha parte e dum outro bandido de GPS, levou a que a parte final ficasse na memória. Tínhamos que lá voltar...
Ora é hoje, ora é outro dia, não dá jeito...enfim...
Prometi a mim mesmo, e assim fiz.
Sábado dia 7 de dezembro foi a manhã escolhida para ir percorrer, subir, e envolver-me sózinho nas entrenhas da Estrela.
Através de conversas com colegas de Manteigas e Covilhã, ia estando atento ao estado do boletim meteorológico. Acreditem meus amigos, em Manteigas, às 9 da manhã marcavam 4 graus de temperatura. Excelente.
Saí da Lardosa, com a russa que caracteriza estas alturas do ano. Fundão, Covilhã e ao longe apercebia-me que ia ter um dia magnífico para subir o monte.
Valhelhas e no Vale da Amoreira comecei a reparar que a geada e manto branco dissipavam-se. Belo.
Com vestes preparadas para subir e descer, saí de Manteigas agasalhado de mais, sendo que ao km 2, tive efetuar paragem estratégica para tirar roupa necessária  e sentir-me  bem na ascenção das primeiras subidas do dia.
O Covão da ametade.

Neste dia resolvi tirar a "foto de grupo", num lugarejo qualquer. A escolha não era difícil em virtude de tamanha beleza.
As minhas companhias:
A mochila, bike, impermeável, kispo, jornal para as descidas, capacete eu, sandochas de queijo, presunto e chouriço caseiro tamanha XXL, e muita alegria e vontade...
É um sentimento enorme pedalar por aqui a solo.
Sentia-me o dono do mundo.
Pedalada após pedalada, vislumbrava um horizonte cada vez mais absorvente, calhando em cenário lá bem no fundo, a encosta do Covão da Ametade.
Magnífico.
Percorri o Vale Glaciar de ponta a ponta,,,lindo,,,
Tudo nesta imensidão nos passa pela cabeça.
Tu és maluco circular por aqui sózinho. Eu sei lá o que se pensa neste tipo de desafios...
Um dos pensamentos, é sempre a maneira positiva e séria que os encaro. O trilho tinha fornecido aos "bandidos" para caso acontecer algo desagradável, quiçá me procurarem; GNR, posto de montanha, tinha informado todo o trilho que iria percorrer. Isto porque a hora de prevista de chegada a Manteigas eram as 4 da tarde.
Para este ano a proposta envolvia a subida à torre via centro de limpeza, rezando uma Avé Maria e um Pai nosso na capelinha de São Francisco de Assis, culminando a volta no tal cruzamento das faias, fazendo assim o que ficou por fazer em 2012.




E o maluco sou eu!!!???
Quando circulava a cerca de 2 kms do Covão da Ametade, eis que mais "malucos" como eu surgem pela frente. De bicicleta não; Estes eram daqueles que andam por lá sobre pernas. Os caminheiros de Manteigas.
Depois de um pouco de conversa, e troca de informações, avisaram-me que o trilho que seguia, acabaria mais à frente, obrigando-me a procurar o asfalto mais cedo do que aquilo que previa.
Prazer e bom passeio...
Tudo corria bem, dentro dos tempos a que me  opus,  bela temperatura, bons trilhos e um bem estar físico à altura deste desafio.
Mas, mas um pensamento e sentimento mais triste,  à frente começou a pesar na forma positiva com que circulava. ..


Um acidente brutal na 6ª feira(dia 6) ceifou a vida a duas pessoas, sendo uma delas muito bem conhecida, e de familia lá de casa.
O que tudo até aqui corria pela excelência, começava aos poucos, e sentia a desmoronar-se...
Beijava nesta altura o Covão da Ametade...
Decidi comer uma sandocha XXL, refletir, e como valores da vida são mais importantes do que a bicicleta, decidi regressar por asfalto até Manteigas.
Por mais que me esforçasse, a alegria de andar por aqui passou a ser neutra.
Faias há muitas, vidas é só esta....
Era tempo de reforçar agora na descida as vestes, pois a 60/70 kms/h o ar frio até corta!!!
Manteigas era pelas 11 da manhã banhada por 12 graus. Que maravilha para circular por aqui
Triste, mas com sensação da melhor opção tomada, regressei à Lardosa deixando as faias mais uma vez na memória...
Pinto Infante

4 comentários:

FMicaelo disse...

Eh pá nesses carreiros sozinho, acho que não... Quando lá quiseres ir apita... vou ctg! Pedimos o track do Nelo do ultimo passeio que la fizeram em Novembro!

Pinto Infante disse...

serve de terapia,,,eh eh
um colega meu diz.."só se morre uma vez"...
e quando tens vontade de ir,, porque não!!!
O trak que tenho , este, deve dar pica porque vou até à torre, embora por asfalto.
um dia destes, vamos até lá...
abraço e boas festas
Pinto Infante

Silvério disse...

Boa tarde Pinto Infante,
Depois de ter "viajado" contigo neste memorável passeio, graças à tua excelente reportagem, ao longo do percurso que que nos transportou por lugares simplesmente extraordinários, que sem duvida alguma pode ser prescrito como terapia para muitos males, resta-me agradecer a partilha e dar-te os mais sinceros parabéns por tudo!

Bom ano novo, cheio de saúde e sucessos em todas as "pedaladas" da tua vida!

Grande Abraço

Silvério

Pinto Infante Infante disse...

boas Silvério
mas onde é que tu páras, que ninguém te põe a vista em cima?
não tenhas dúvidas que é uma viagem inesquecivel, e nem acabei a viagem.
uma beleza onde nos sentimos mesmo pequeninos.
desejo te a ti e tua familia umas boas festas, e bom ano.
Pinto Infante