quarta-feira, 7 de outubro de 2009

...e assim foi a diferença do 4 de Outubro...

Blá blá blá, blá blá blá
Não senhora, isto não foi bem blá blá, foi a IV edição desta Feira de Feijão Frade, que engrandece e divulga o que se fez, e faz na Lardosa. Desta vez falemos de mais um passeio Pedestre; Eu disse mais um?! Não não, isto foi o Passeio Pedestre da Feira, que como sabe quem cá veio, é sempre em tudo diferente.
Carrega aqui para ver fotos do Pinto Infante:
Diferente porquê? Perguntam os meus amigos/as; É sempre, não há um único passeio, e já vamos na IV edição que tenha passado pelo mesmo percurso, ou sítio.
A verdade é que de ano para ano toda a gente que tem o prazer de nos visitar sai daqui com agrado e satisfação... e gentes de sei lá de onde. Sempre bem vindas...
Carrega aqui para ver fotos do Luís Franco:
Amor é...
Este ano de 2009 primámos mais uma vez pela inovação, ou seja além de vasculhar os trilhos bem conhecidos por mim dentro do meu" BAÙ" e sempre bem guardados, ainda bafejei com alegria e dança quem nos visitou. Que agradável brincadeira.Micaelo para o ano conto contigo, ou com a tua esposa, até "STEPP" tivemos ao início e fim. É bom ver a malta a mexer(cuidado com as artroses!!!).
Carrega aqui para ver fotos do Cristóvão:
Inovação que em 2010 se vai repetir e com vários surpresas, pelo menos é o que tento fazer como apanágio.
Este ano até me calhou uma "garagem" para estacionar o meu material. Era ver as gentes que nos visitaram olhar para as minhas bikes e para a bike do meu amigo Zé das Aranhas, esta a fazer grande furor no recinto da Feira( fiquem sabendo que está encomendada para um casamento).
A sério, dêem uma olhadela nas minhas fotos e nas dos meus companheiros Luís Franco e Cristóvão colaboradores deste Passeio.
Agradecimentos, como sempre ao Zé Luís e Cristóvão sempre disponíveis, e todo o voluntariado.
o de sempre;
....Pinto...
....o Infante.
Até 2010
Já agora, bem hajam pela V/visista...
até sempre

1 comentário:

CRISTÓVÃO disse...

ESPECTACULAR. OBRIGADO PINTO. SÓ TENHO UM REPARO A FAZER: E AS "MINES"?
UM ABRAÇO
Cristóvão Campos